segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Sob a Chuva

Sob a chuva sobre a face
Me encontro em uma gota de esperança
Como tudo sou parte de um todo
Que vagamente percebo

Vivo e morro sob a chuva
Quantas vezes a minha insanidade permitir
Quantas vezes o meu grito ecoar
Perdido em minhas lágrimas

Sob a chuva respiro meu ar efêmero
De liberdade eterna


Alexandre Alves.