quarta-feira, 4 de junho de 2014

Paixão por ti

A minha paixão por ti
É como a alvorada dos sonhos
Que nasce da doce loucura
Dos meus sentidos e invade tua alma

É um beijo quente de inverno
Uma fuga de si
Um encontro de desejos

Alexandre Alves

Talvez...

Da saudade,
a ausência,
ansiada presença,
numa tarde, talvez...

Ou num despertar,
de um sonho fecundo,
num sono profundo,
numa noite, talvez...

Numa paisagem,
bela, colorida,
na veia sentida,
num passeio, talvez...

Na doce musica,
uma singela melodia,
na distância em sintonia,
num encanto, talvez...

Na luz do luar,
que inunda a retina,
que sobe a adrenalina,
num simples pensar, talvez...

Como poema inacabado,
numa alma, num lamento,
numa rima solta ao vento,
no vazio, talvez....

Na ausência que se fez,
uma presença ansiada,
na saudade alforriada,
num instante, talvez...

Pedro Cesquim

Soneto da ausência


Voz  que  se desfez na despedida,
num  instante  marcado no tempo,
duas lágrimas no canto escondidas,
em  olhares perdidos pelo campo.

Um sonho pelo meio do caminho
na  angustia de  uma separação,
uma dor profunda de um espinho
encravado no centro do coração.

Uma  solidão incontida, dolorida,                        
num longo, longo distanciamento,                           
exaurindo por total a resistência.          

Na  alma,  eternamente sentida,                              
sobrou  apenas  como alimento;                              
a saudade de sua doce ausência.

Pedro Cesquim