segunda-feira, 30 de maio de 2011

Lua

Olho noturno que os homens vem velar,
inerte em sua trajetória observa distante,
magia, mistério que às mulheres faz cegar,
face do sol refletida, luz que se torna ausente!

Senhora silenciosa que orbita a humanidade,
guardando segredos de um passado dormente,
companheira inseparável do pequeno viajante,
anunciadora da noite escura, luz nascente!

Senhora que observa a fugaz natureza humana,
de sua presença o coração semeia os amores,
pequeno astro perdido no espaço que emana
a vontade de curar os mares e, do parto, as dores!

Rainha amiga que rege na mulher, a gestação,
pálida, serena, espelho que reflete a alma nua,
sacerdotisa que aos trovadores inspira emoção,
pequena porção de Deus, nossa bela e solitária Lua!

Marco Pardini

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Oração

Ondas de luz que viajam pela imensidão,
chicoteiam como balas perdidas na alma,
partículas de amor que invadem o coração,
raios de sol que o espírito conforta e acalma!

Finos fios que tecem a tênue linha da vida,
árvore frondosa que germinou da semente,
suor sagrado que do obreiro respinga e nos convida
a pronunciar a palavra secreta que jaz no peito dormente!

Suave gesto que docemente fala sem ser ouvido,
ressoa no universo calado o grito de um apelo,
mágico momento que a todo homem é sentido,
carta endereçada ao espaço sem cola, sem selo!

Aquele que do pesadelo da morte se levanta,
que debruça de joelhos ao pé da cama,
num simples gesto de gratidão,
no sorriso do espírito a todos imanta,
que da teia do conflito desfaz a trama,
ama calado, sem dor, sem nada,
sente apenas uma doce chama,
que arde no peito e na mente,
e que a todos conhece como o poder da oração!

Marco Pardini