terça-feira, 17 de novembro de 2009

Solidão

A solidão as vezes é insólita
Traiçoeira como o não ser
As vezes nos levanta
As vezes nos derruba

Estar só é aproximar-se de si mesmo
É viver por si
É alimentar o egoismo dos grandes

A solidão guarda sempre um suspiro
Uma saudade
Uma vontade de ir ou de ficar

A solidão é como um bolero
Onde não se dança
Apenas se escuta

Alexandre Alves

Um comentário:

Anônimo disse...

tansulinda.
Ser/estar só é não querer participar como roteirista e ator na grande obra do criador.
Sueli

Tu és linda

Tu és minha flor do campo Que um perfume me traz Como um sossego da alma Deixando no peito uma paz Tu és linda como sempre Como um son...