terça-feira, 17 de novembro de 2009

Solidão

A solidão as vezes é insólita
Traiçoeira como o não ser
As vezes nos levanta
As vezes nos derruba

Estar só é aproximar-se de si mesmo
É viver por si
É alimentar o egoismo dos grandes

A solidão guarda sempre um suspiro
Uma saudade
Uma vontade de ir ou de ficar

A solidão é como um bolero
Onde não se dança
Apenas se escuta

Alexandre Alves

Um comentário:

Anônimo disse...

tansulinda.
Ser/estar só é não querer participar como roteirista e ator na grande obra do criador.
Sueli