segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

O Amor

O que não é o amor senão algo inebriante
Que causa um doce vicio de amar mais e mais
Até que não exista mais o tempo
Até que nada mais exista

O amor se consome em si
Inefável como a própria vida.

Alexandre Alves

Um comentário:

lilimecaalves disse...

Meu amor você é um eterno romântico!!! Meu poeta preferido,te amo...