sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Metáforas

Alma que voa, livre, solta,
como pássaro que canta,
na natureza viva, na lida,
na poesia que encanta,
no sangue que vai e volta.

Alma que sonha e jura,
quando a química atrai;
e se transforma em vida,
na doce lágrima que cai,
da jovem que amadura.

Alma, do peito evapora,
eclode da castidade,
uma sensação doída,
um sabor, felicidade,
como uma metáfora.

Pedro Cesquim

Nenhum comentário: