sábado, 2 de julho de 2011

Transformação Interior

Miragens mentais vivem a me enganar,
mesmo na multidão, sigo num deserto solitário,
procurando na areia o real sentido do infinito amar,
fugindo do vigiar de um silêncio involuntário!

Imagens povoam meu universo interior,
vozes que ressoam no labirinto sentimental,
olhos venenosos a espreitar com medo e terror,
daquele que afastou de si, o mundo celestial!

Doce fruto que ao morder se transforma em veneno,
ceifando a vida daquele que caminha sem destino,
levado com o vento, sem palavras, sem aceno,
deixando apenas a pegada de um triste peregrino!

Oh vida terrena, escutai este servo que insiste lhe falar,
cujos pés maltratados pelos espinhos da caminhada,
refletem a dor da angústia, num coração contente a tagarelar:
O amor enfim chegou! A iluminar o novo dia desde a madrugada!

Marco Pardini

Nenhum comentário: