quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Minh'alma

Minh'alma não é triste
Não chora as ilusões perdidas de Casimiro
E tampouco lamenta os sonhos que já tive outrora
Ela perambula pelas esquinas dos sonhos
Onde os homens não chegam
Alegre como a aurora de minha infância

Alexandre Alves

Nenhum comentário: