segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O céu de minha infância

O céu de minha infância
Não era só a casa de Deus
Eu tinha uma morada
Era quase um anjo

Chegava até a andar pelas nuvens
Tão perto de tudo... das estrelas.... dos planetas...
Tão perto de mim...

Oh distante céu
De silêncio eterno
Onde estou que não mais te vejo?

Alexandre Alves

Nenhum comentário: